segunda-feira, 15 de novembro de 2010

ELEGIA DO DESASSOSSEGO



Sob o título acima, recebi este e-mail do Quito:
Meu Caro Rui
Ando num sossego desassossegado. Tinhas desaparecido do blogue. Porém, numa postagem do museu da São Rosas, vi um comentário teu, o que me faz pensar pelo tom prazenteiro, que estás bem de saúde. Mas não é liquido, que te encontres em Portugal. Até admito que te encontres na Guiné, e que fizeste aquele comentário enquanto AINDA tens computador. Daí a minha preocupação ao pensar que podes andar por terras de África. Vejo-te a guiar um Jeep, em Guilege, Boruntuma, Mansôa ou Bafatá, numa perseguição feroz a uma qualquer maquina da tua empresa, com uma volumosa pasta com os documentos comprovativos de que o material te pertence, e um cheque ao portador a cair-te do bolso de trás das calças, para uma qualquer eventualidade. Não querendo ser tão fatalista, há a outra face da moeda. Palpita-me que possas estar a ver o pôr-do-sol no Corubal, com uma qualquer Miss Guiné desnudada, com os mamilos do peito arrebitados para a lua. Daqueles que só de ver até dá uma travadinha na fala de qualquer mortal.Vejo-a de dedos longos e esguios, a meter-te as mãos pelas ondas do cabelo e a dizer-te com voz rouca: "estás a gostar do "pôr-do-sol", ó meu? Bom, espero que assim seja. Eu cá continuo a olhar para as montanhas. Não tenho nenhuma miss a pentear-me com as mãos os cabelos. Aqui pela farmácia só aparecem, moçoilas de pêlo no queixo, a cheirar a suor, a arrotar a queijo de ovelha, e a gabarem-se dos cem quilos de azeitona que apanharam. Deus me acuda !!!
Saudações calorosas, caro Rui,
Quito

Ao qual respondi logo a seguir:


Amigo Quito,
Se dúvidas eu tivesse quanto à tua amizade, a missiva que de ti recebi há minutos tê-las-ia desfeito.
Na realidade, como teria dito o Senhor de La Palisse, os amigos lembram-se dos ausentes quando não estão presentes. E o teu desassossegado sossego, como diria Camões, é uma dor que não dói, é um sentir que não se sente, que só os amigos experimentam.
Ou ainda, como proclamaria Oscar Wilde, a amizade é lembrança, a indiferença esquecimento.
Por isso me emociona a tua preocupação, infelizmente rara...
As tuas conjecturas quanto ao meu paradeiro quase acertaram no alvo.
É um facto que estive em Bissau por poucos dias. Igualmente adivinhaste quanto ao belo pôr-do-sol africano que bem conheces, mas não no Corubal e sim no Geba. Também acertaste no que à papelada diz respeito, só que em vez de cheque, amarrotadas no bolso das calças, o que trazia eram umas quantas notas ensebadas de 5.000 francos CFa’s [1] sempre à mão de semear, para o que desse e viesse.
E em vez de uma Miss Guiné, desoladamente, contentei-me com uma Futa-Fula entradota, cujos mamilos já pouco arrebitavam, e não empinados para a Lua, mas descaídos para as plácidas águas da bolanha.
A cada um o que merece...

Um abraço do Rui Felício

[1]5.000 francos equivalem a cerca de 7,50 euros
--

71 comentários:

  1. Não resisto a transcrever o e-mail do Quito em resposta ao meu pedido de autorização para publicar o que me escreveu:

    "Caro Rui
    Claro que podes publicar. Apenas te chamo a atenção para o facto de eu ter escrito "mamilos" com dois "L". Sabes, quando falo destas matérias fico perturbado ...
    Abraço
    Quito"

    E respondo-lhe aqui:

    Quem não fica perturbado, Quito? Quem?!

    ResponderEliminar
  2. Ficas São Rosas? Mesmo que seja uma futa-fula entradota?

    ResponderEliminar
  3. Caro Rui
    Esta nossa troca de correspondência, é um autêntico manual de catequese. Bem nos podemos esforçar para moralizar o blogue, que não temos qualquer tipo de agradecimento. O Dom Rafael, subido Administrador, há muito que nos devia ter oferecido umas férias numa qualquer ilha paradísiaca, com muitas misses de tanga. Mas não. Escuda-se na estafada desculpa que isto está "difícil" e não se chega á frente com os dólares. Anda com tiques de Ministro das Finanças ...

    ResponderEliminar
  4. Lembraste-me uma boa coisa, Quito. Uma Rota ao Arquipélago dos Bijagós que são um autêntico paraíso tropical a escassos Kms de Bissau.
    Vais ver que o Rafael começa já a elaborar a lista dos aderentes!
    Convém é levar rede mosquiteiro e repelente...

    Quanto à moralização do blogue, acho que podemos contar com a inefável São Rosas, mulher de grandes encantos e poder persuasivo, que estudou piano e fala francês...

    ResponderEliminar
  5. Tens razão Rui. O Senhor Administrador, a esta hora, já fretou um aeroplano qualquer, daqueles baratuchos, mas que até voam. Quanto aos predicados da São Rosas, são por demais evidentes. Tem sido, de facto, uma estrela cintilante no panorama da moralização do blogue.Um verdadeiro ás de copas !!!

    ResponderEliminar
  6. Eu diria mais. Uma verdadeira Dama de Paus!

    ResponderEliminar
  7. A Sãozita Rosas está tão emocionada com os elogios, que se lhe "imbargou" a voz...

    ResponderEliminar
  8. E é uma pena, porque ela quando fala, não fala. Diz!
    Assim caladinha e corada ainda fica mais sedutora...

    ResponderEliminar
  9. E també "axo" a tua mensagem ao Rui uma maravilha!!! É-o em todos os aspectos... Então
    na parte da miss de mamilos arrebitados.... é de
    "pôr" algo em pé...a vós homens!
    As moçoilas de bigode e com arrotos espontaneos....atenção, não são menos eróticas que a tal miss!!!
    A São Rosas que o diga.
    Rui, as Futas-Fulas entradotas também têm o seu quê erótico...
    O que são Futa -Fulas?

    ResponderEliminar
  10. O que por aqui vai... Afinal os ditos mentores da moralidade deste blogue e responsáveis pelo pouco cabelo que o Administrador cada vez menos tem na cabeça, bem se esforçam por sacar algum ao Rafael e agora até se atrevem a exigir o pagamento em dólares.
    Na sofreguidão desta vil exigência até se esquecem que o administrador é surdo e só ouve o que lhe apetece…

    Estou triste não pelo auto-desterrado nas fraldas da Serra da Estrela, mas pelo nosso querido jurista, que anda com os bolsos repletos de francos com a encapotada intenção de com eles abrir algumas portas. Terá isto alguma semelhança com suborno? Não com certeza. Antes uma acção meritória e benemérita de suprir algumas carências de quem deles necessita.

    Meu caro Felício, tu que transpiras charme, sempre com a palavra pronta para o ouvido feminino menos atento, não conseguiste, nesse clima tropical em que o calor desperta os sentidos e os cheiros aguçam o apetite, mais do que uma estafada e usada Futa-Fula de peitos pendentes, moles de tanto serem chupados por um regimento de filhos de pais sem conta… Nem aqui, com essa descrição, conseguiste fazer subir o ânimo do nosso desterrado Quito e a sua imaginação prodigiosa que, na mais pequena protuberância, consegue imaginar o palpitar de seios rijos e pontiagudos apontando para o céu como rampa de lançamento de míssil.

    Imagina Quito, por aí, que as moçoilas não cheiram a queijo de ovelha por nenhuma das suas reentrâncias e que o cheiro a perfume patchouli é aquele subtil e delicioso aroma a Chanel ,que as suas mãos e a sua pele são macias como seda, produto de longos e deleitosos banhos em leite de burra, que os seus peitos virgens e hirtos são montanhas que almejas trepar … imagina, fecha os olhos se for de dia, se for de noite nem abras a luz.
    (e que a São nem leia isto, e se ler que me desculpe)

    Abílio

    ResponderEliminar
  11. Abílio, eu não li. Passei por cima. Comme quand je joue seulement avec les touches noires du clavier de mon piano (leia-se "piànô").

    ResponderEliminar
  12. Assim está bem.
    Alta escrita.
    Um Abraço.
    Tonito.

    ResponderEliminar
  13. Ainda bem que apareceste Abílio para dares um pouco de côr ao quadro negro que estes teus dois amigos pintaram!Tu Quito, estás de rastos, melancólico, quase descrente da vida e então por essa cabeça, passam coisas de uma imaginação muito fértil, mas por vezes sem sentido. Eu compreendo-te, o meio em que estás não ajuda e a idade também não...Cheira-me a que estás a ter uma certa dificuldade em envelhecer e pela tua mente, passam-te flashes de tudo o que não fizeste, mas gostarias de ter feito!!!! E quem é a melhor pessoa para desabafares? O Rui claro, só podia ser ele..e tudo aquilo que nos teus momentos de solidão, sonhaste para ti......passas para ele, ele que também já está um pouco contagiado por ti, ou talvez não, embarca na mesma onda...E então assistimos a um diálogo de dois supostos "idosos", frente ao muro das lamentações. Que tristeza homens!!!!
    Tu Quito, num ultimo esforço de te entusiasmares e entusiasmar o teu amigo, num arranque supremo, vens com a história de uma tal miss Guiné, beleza indiscutível, desnuda com os mamilos do peito voltados para a Lua, se a houver, digo eu, e qual a resposta do teu amigo? Fala numa raça que eu nem conheço, uma Puta Fula? já entradota, que eu nem me vou dar ao trabalho de repetir....
    Ao que um homem chega! E não querem andar deprimidos....Ponham os olhos no vosso amigo Abílio! Sempre positivo, sempre bem disposto, companhia que qualquer pessoa deseja ter....
    Façam como ele....corações ao alto e se conseguirem, o que duvido, ponham mais qualquer coisa ao alto...vão ver como andam mais felizes!!!!! Sigam o conselho desta vossa amiga, que embora "entradota", sabe muito bem o que está a dizer....E se esta minha despedida vos puder dar um "niquinho" de alento, então considerem-se beijados aonde mais desejarem.

    ResponderEliminar
  14. Posso também fazer um desejo? Posso? Posso?

    (mas tem que ser rápido antes que chegue o meu ginecologista)

    ResponderEliminar
  15. Depois de ter enviado o meu simples comentário, constatei ter-me enganado no nome ou raça, da entradota de mamilos descaídos.....
    Escrevi Puta - Fula e afinal é Futa-Fula.
    Peço desculpa ao Rui deste meu engano.

    ResponderEliminar
  16. Certamente, naquele tempo, seria....
    Talvez não fosse para fritar, mas sim para lubrificar.....

    ResponderEliminar
  17. Um desassossego na cumplicidade de uma grande amizade!
    Dois senhores que muito se estimam e que, tendo em comum a vivência dum tempo de guerra na Guiné, recordam, com nostalgia, as memórias desse tempo!

    Os comentaristas logo aproveitam a inquietação descrita e toca a gozar...desvirtuando os desabafos.
    O administrador, esse, anda a ver as cheias de antanho, para os lados da Rainha Santa.
    ...São Rosas!
    Só um milagre poderá temperar os desvarios.
    Sosseguem.

    ResponderEliminar
  18. Que grande desassossego vai por estas bandas...
    Vou tomar as gotas e já volto.

    ResponderEliminar
  19. Tenho andado em serviço externo, pois não tenho fundos para poder pagar em recibo verde, a quem me faça as investigações necessárias para identificar as fotos que o Rui Pato vai mandando e que fazem parte do espólio fotográfico que o seu pai deixou!
    Mas faço-o com um gôsto muito especial pois são fotos que fazem parte da memória desta cidade e que os mais novos apreciarão fazendo a comparação dos locais desse tempo com o que hoje podem ver.
    E é por isso que só agora tive algum tempo para me debruçar sobre o texto postagem do Quito, a resposta postagem do Rui Felício, e restantes intervenções sobre o desassossego do Quito, preocupado com o sossego que o Rui Felício nos vinha brindando...
    Também eu próprio já estava a ficar dessassossegado com tanto sossego!
    Mas o meu dessassosego não é preocupante pois é um desassossego citadino.
    Vem á mente num segundo e logo desaparece!
    As moçoilas da cidade são perfumadas,não comem queijo de ovelha mas sim pizzas italianas com o queijo fundido e bem cheiroso, não apanham azeitonas e muito menos as levam á cabeça mas sim comem-nas de preferência sem caroço!
    Mas não pense o Rui Felício que pelo facto do nosso desassossego ser menos dorido e mais passajeiro que o do Quito que a nossa amizade não seja também merecedora de tantos elogios!
    Eu sei que os escritores se protejem uns aos outros!
    Sei também que o desterro de 5 dias por semana(também não é assim tanto tempo...)sempre a ver as mesmas montanhas,as moçoilas de pelo na venta e pior...nem uma missesinha a passar-lhe um dedinho no cabelo(oxalá que a São não ande por aqui a ler estas coisas...é sinal que a freguesia não pára de entrar na farmácia), lhe provoca alguma nostalgia, para mais sabendo que tu Rui andaste lá pelas Gebas a recordar os tempos menos maus que por lá passaste- agora já talvez com mamilos menos descaídos!
    Caso não tivesse medo em andar de avião seria uma rota interessante ir á Guiné e ter-vos por guias!

    Quito atenta bem nos conselhos do Abilio...mas muito especialmente no inflamado apelo da Teresa!
    O alento final é mesmo de amiga do coração!
    Não sei se também não vou ficar um pouco mais desassossegado!

    ResponderEliminar
  20. Este blogue desassossega-me.
    Hoje, logo hoje, que tinha prometido a mim próprio não deixar Morfeu desassossegado, eis que me deparo com este manancial de desassossego.
    O Quito e o Felício desassossegaram-nos com o chamado monólogo a dois. Se não souberem o que é que isto quer dizer, perguntem ao Quito porque esse desassossego é da sua autoria.
    O Felício desassossega-nos com as suas retiradas sem pré-aviso. Ainda ontem, no Observatório, o Carlos Car(v)alho observava que as "latinadas" do Felício andavam desaparecidas. Sosseguei-o, dizendo-lhe que devia estar a preparar alguma tese e que reapareceria breve e em força.

    ResponderEliminar
  21. Axo muita piada ao Quito. Vai-nos dizendo que as moçoilas cheiram mal e não fazem a barba.
    Eu axo que ele escreve essas coisas porque não tem a certeza que a São ( A São do Quito e não a Rosas, senhor... ) não venha dar uma espreitadela no blogue.
    Sabe muito o nosso Romancista...
    Grande manholas!

    ResponderEliminar
  22. O Felício deve ter tido um Espírito Santo de orelha quando falou na dama de paus. Recomendo vivamente que peças à São Rosas ou ao seu cicerone que te mostre a dama de copas.
    Até te lambes todo!
    Sim, porque eu não acredito que não vás arranjar um dia para ver o Falo.
    E também não acredito que a São Rosas te feche a porta. Apesar dos maus tratos que lhe tens infligido, ela é um CUração de ouro.

    ResponderEliminar
  23. Teresinha, esse alento é extensivo a quem? Quero saber, só por curiosidade...

    Rafael, não te ponhas a inventar eventos. Olha que também se pode ir à Guiné de barco...e esta malta é doida. Vais ver que estás a arranjar lenha para te queimares.

    ResponderEliminar
  24. Deliciosa esta conversa, que mete África, amigos, preocupações e alguns "quantos não sei" mamilos descaídos.
    Dois desassossegos da escrita no seu melhor.

    ResponderEliminar
  25. Não obstante a amizade do Quito, que muito me honra e que retribuo. Por isso o aviso que por detrás da aparência das moçoilas beirãs de pêlo no queixo, está por certo a sensualidade de doces mulheres que, sejam elas citadinas ou camponesas todas têm uma característica comum:
    A astúcia feminina, de que se servem para conquistar homens românticos e sensíveis como o Quito.

    Porque, como disse Tito Lívio,
    "Mulierum astutia peior omni vesutia"
    ( A astúcia das mulheres é pior que qualquer ardil )

    E com esta latinada, satisfaço os amigos Car(v)alho e carlos Viana...

    ResponderEliminar
  26. Preclaros amigos
    Em desassossego ando eu. Troca um homem correspondência com um amigo, e logo aparece um cortejo de comentários, alguns até de índole bélica. Numa prosa brilhante, o Abilio até fala de rampa para lançamento de um missil. A Teresita Lousada,que se dizia minha amiga, já só falta mandar-me para um lar da terceira idade. A Celeste Maria, sempre com os suas acertadas opiniões, lá vai falando dos "desvirtuados" comentários. O Senhor Admistrador, com uma voz miada, lá vai falando nas dificuldades financeiras do blogue, abrindo no entanto a porta para uma rota pela Guiné. Razão tem a São Rosas, que diz que esta malta é toda maluca, postadores incluídos. O Viana, também disse de sua justiça, no breve período do dia em que está acordado. O Leitão fingiu que não percebeu, o Pedro finalmente apareceu, e o Tonito remeteu-nos para os seus habituais e cordiais cumprimentos. O Rui Lucas ficou com os olhos embaciados de tanto a meditar no assunto, e foi pôr mais gotas nos olhos, e para terminar em beleza a Olinda disse de sua justiça uma verdade, que ninguém de boa fé pode contrariar: ARREBITADO É QUE É BOM ...
    Abraço para todos, de cima de uma escada encostada a uma oliveira, onde já colhi 2O quilos de azeitona! E ainda são dez da matina ...
    Abraço cordial a todos

    ResponderEliminar
  27. Rui,explica, como tu bem, sabes o que é uma Futa-Fula!
    Estou numa de cultura guineense...falo a sério.

    ResponderEliminar
  28. Carlos V. e Rafael, já uma pessoa não pode ser "boa"!
    Quero que saibam e que fique aqui bem esclarecido, que aquele "niquinho" de alento que ingenuamente ofereci ao Quito e ao Rui, estará sempre disponível, para qualquer amigo ou amiga que necessite.
    Tenho dito.

    ResponderEliminar
  29. Querida Olinda,
    É com gosto que te esclareço o que pediste:
    A Guiné-Bissau é um mosaico de diversas etnias animistas e islamizadas:

    Balantas, Mandingas, Beafadas, Bijagós, Manjacos, Felupes, Nalus, Sossos, Pépeis, Fulas e outras.
    Os Fulas, por sua vez, dividem-se em Fulas Forros, Fulas-Pretos e Futa-Fulas.
    Estes últimos adquiriram o nome, em virtude de serem oriundos do interior africano da região da Grande Guiné, do maciço montanhoso Futa Jalon.
    Ao mesmo tempo, existem cerca de 20 dialectos diferentes que tornam incompreensíveis os contactos de todas estas etnias entre si.

    As mulheres Futa-Fulas são de um modo geral muito bonitas e com corpos bem delineados.
    Têm uma pele mais clara que os restantes Fulas e os traços fisionómicos de grande perfeição e delicadeza, os lábios menos grossos e o nariz mais afilado que a maioria dos africanos.

    Seria interessante falar da História do povoamento da Guiné por estas tribos, dado que a sua maioria não é dali originária, o que levou a prolongadas lutas de domínio.
    Não é por acaso que os animistas Balantas, Pépeis e Bijagós vivem no litoral e nas ilhas, enquanto os islamizados Mandingas e Fulas ocupam toda a zona interior da Guiné.
    Mas a História é outra história...

    ResponderEliminar
  30. Rui
    Como também andei por aquelas terras, tinha uma ideia aproximada de tudo o que dizia respeito a etnias. Mas não da forma clara e fundamentada como o fazes em resposta à Olinda. Gostei de ler, até porque, como sabes, ficamos sempre presos aos sitios por onde passámos. Não tenho dúvidas que no dia em que abandonar esta aldeia e este povo, ficarei sempre atento ao que por aqui se passar. Porque somos pessoas. Porque temos sentir. Porque não somos meros objectos. Porque não temos uma visão mercantilista da vida. Porque temos amor ...

    ResponderEliminar
  31. Durante os dois anos que estive na tropa na Guiné, dediquei grande parte do meu tempo a aprender e a tentar compreender as diferenças de tradições e de cultura daqueles povos que só por acaso viviam no mesmo território, mas que se consideravam nações diferenciadas, cada uma de per si.

    Encontrei homens de grande saber, mau grado serem considerados à luz do nosso paradigma, como analfabetos.

    Tal como tu, Quito, também eu sou incapaz de esquecer os bons e maus momentos passados naquela terra e de me preocupar em saber a cada passo o que por lá se vai passando. Mais de mau do que de bom, infelizmente.

    ResponderEliminar
  32. Amóri, como podes pôr a nossa amizade em dúvida? Sabes que sou, fui e serei tua amiga até ao fim dos meus dias. Tão amiga, que quando li a terrível hipótese de poderes acabar os teus alegres dias num Lar da Terceira Idade, apoderou-se de mim uma angustia, as lágrimas brotaram-me dos olhos(2), senti um arrepio na espinha, coisa que já não sentia há muito tempo e então foi aí que tomei a suprema decisão....Trazer-te para minha casa, onde nada te faltará!Claro está que conto com a ajuda da São, que fornecerá, as fraldas, os resguardos, os medicamentos, a arrastadeira e cremes, muitos cremes, para não ficares "assado"!!!!!
    Não é boa ideia, Amóri? Não estás contente? Em que Lar da 3ª idade estarias melhor? Eu que já cá estou à uns tempitos, estou satisfeita, bem instalada e nada me falta...Então quando tu vieres, vais ver o tratamento de choque, logo no 1ºdia! É só uma vez por semana, porque senão à 6ª sessão, sentes-te bem e és capaz de querer ir embora!!!!
    E isso Amóri, eu não quero!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  33. Amori
    Nunca coloquei a tua amizade em dúvida. Só não quero é que me encomendes já a bengala e as pantufas ...
    Beijos& abraços

    ResponderEliminar
  34. Rui, achei muito interessante o teu esclarecimento, sobre o Povo Guineense. Não fazia ideia da quantidade de etnias que existem, nem da diferença que há entre elas! Seduziu-me e despertou-me curiosidade a tua descrição e vou tentar obter um conhecimento mais profundo.
    Um beijinho e obrigada

    ResponderEliminar
  35. O Rui bem FALA mas "in vino veritas" ( ou por isso) agora até fiquei aos PÉPEIS:
    1.-Então se um "Zé Manel" qualquer abrisse uma tasca denominar-se-ia a "Tabanca do Zé Manel do'SOSSOS? E para se ir ao WC diríamos que se ia fazer uma MANJACA?
    2.- E a Madame Filipa local publicitaria que "Hoje há BEA_FADAS"?
    3.- E por quê NALUS e não Alvalade, Antas ou Calhabé?
    Ai Quito, Quito!Se estas dúvidas se mantiverem resta-me o que o Rui ( e o "Biana") já nos ensinou:
    Praeferandum imaginarium quod nillius essere... "E a imaginação é o que nos vai valendo..."

    ResponderEliminar
  36. Amóri, por acaso já estava a preparar algumas coisas, para tu não sentires a falta! As pantufas e o roupão, seriam talvez as primeiras coisas...não pensei na bengala, que é coisa cara e como neste Lar existem resmas de chapéus de chuva, talvez remediassem para os primeiros tempos. Mas realmente é melhor esperar mais algum tempo....Temos que nos mentalizar.....
    Abraços fortes de muita amizade e beijos fraternais.

    ResponderEliminar
  37. É_rata! No ponto 2 favor ler bem: Madame FELUPES!

    ResponderEliminar
  38. Querida Teresa,

    A História da Guiné é interessantissima.
    E as tradições dos seus povos de uma riqueza e variedade fascinantes.
    Mas para serem entendidas em toda a sua profundidade carecem de leitores que préviamente se identifiquem com o contexto em que existem e que abandonem os preconceitos próprios de quem vive numa civilização ocidental muitas vezes antagónica.
    De outro modo poderá não as entender ou achar chocantes algumas delas...

    Porque África não é Europa. E não devemos impor aos africanos os nossos parâmetros de vida. Nem medir os seus comportamentos por esses mesmos parâmetros...
    Mas fico ao teu dispor para esclarecer alguma coisa que queiras saber e que eu saiba explicar.

    Sem com isto querer intrometer-me nos programas que tu e o Quito estão a delinear...

    ResponderEliminar
  39. "Factum audivimus, mysteria requiramus" (Conhecidos os factos, procuremos o significado oculto.)

    O Carlos Car(v)alho, assumindo dúvidas, deu-nos afinal os ancestrais significados ocultos dos nomes das etnias guineenses.

    Fico-lhe agradecido!
    Carlius Carvalhi gratus suum...

    ResponderEliminar
  40. Isto agora com o latinório começa a puxar para o fino. O Rui, é cada passe de bandeja, que o desgraçado do agricultor até fica atordoado. Depois vem o "forcado das botas" e diz uma frase em latim que mais parece um comboio de mercadorias.Nunca mais acaba ...
    A Teresita, desde que aprendeu a comentar ninguém a segura. Trata-me por "amori" o que deixa o meu coração num desatino. Admitam, caros amigos, que isto para um pastor começa a ser é demais !!!

    ResponderEliminar
  41. Amigo Quito,

    Longe de mim atordoar-te. Já quanto à Teresa não posso falar.

    À cautela, porém, como disseste que estavas empoleirado numa escada a colher azeitonas, aconselho-te a interromperes esse trabalho antes que dela caias e te lesiones nalgum órgão que mais tarde te faça falta...

    "Cautis prodesse pericla aliorum solent", que é como quem diz, "Com os perigos dos outros aprendem os cautelosos"

    ResponderEliminar
  42. Por causa de um inocente comentário, sobre os atributos da miss Guiné, de entusiasmar qualquer mortal, já lá vão quase 5O comentários. Verifica-se assim que as palavras não são como as cerejas, mas neste caso com as azeitonas. Não seja eu um agricultor esforçado, empoleirado numa escada em equilibrio instável, a tremer só de pensar na princesa desnuda,e a dizer alguns impropérios em português escabroso. Felizes aqueles que conseguem falar o português vernáculo em latim. Ninguém os percebe ...

    ResponderEliminar
  43. Pondo a escrita em dia:

    A. - TERESA:
    A1. - Estás desculpada por teres chamado Puta-Fula à Futa-Fula.Digamos que foi um lapsus linguae...
    A2. - Com que então o Abílio é o tal que todas gostariam de ter? Registo...
    A3. - E distribuis beijos aleatórios e a gente é que decide onde os quer levar? Também registo...

    B. - SÃO ROSAS
    B1. - Esse ginecologista é muto absorvente...
    B2. - Afinal falas mesmo francês e tocas piano! És uma mulher prendada que qualquer Abilio gostaria de ter...
    B3. - Não se sabias mas olha que o óleo Fula tomou esse nome porque é feito a partir do amendoim da Guiné ( a antiga CUF tinha o monopólio do amendoim ), cultura práticamente exclusiva dos Fulas.

    C. - ABÍLIO
    C1. - O teu comentário está muito bem escrito. Falo a sério...
    C2. - A Futa-Fula tinha os peitos descaidos mas não foi por amamentar muitos filhos, que só tinha dois. A menos que tivesse amamentado mais uns quantos que lhe não pertenciam e que rondavam a sua idade...

    ResponderEliminar
  44. Rui, "Sunt pueri pueri pueri puerilia tractant" (como tu sabes, "rapazes são rapazes e rapazes agirão sempre como rapazes")

    ResponderEliminar
  45. Rui Felício,gostei imenso de conhecer um pouquinho sobre as etnias... seus costumes devem ser um manancial riquissímo.
    Com brincadeira à mistura também é possível
    enriquecermos culturalmente!
    Obrigada.

    ResponderEliminar
  46. Sublimes paroles em latim...não sabia
    que tantos de vós passaram pelo seminário!!!
    Beneditus sumus, pueri et puerilia...

    ResponderEliminar
  47. Estou contente. Quando resolvi armatus cagalatonum, não fazia ideia de que ia ter tantos
    seguidores.

    Aqui vai uma, que aprendi na última explicação, dedicada à emancipação da mulher, lésbicas incluídas:

    Tota mulier in uterus?

    Libertem-se do jugo do macho latino. Soltem-se, saiam do vosso casulo!
    Eu cá estou para vos apoiar.

    ResponderEliminar
  48. Então, Viana, agora és parteiro?!
    Apoias as mulheres quando se soltarem e sairem do casulo?!
    Ná...cheira-me a esturro.
    Sou mulher, tenho que ir ver se o feijão está cozido.
    Claro, com tanta converseta, já entrou bispo!

    ResponderEliminar
  49. Boa malha, Celeste!
    E não foi preciso latinar...

    A "velocidade" dos comentários faz destas coisas.
    Eu estava a pensar no "desplante" do Felício quando diz que:

    "Mulierum astutia peior omni vesutia"
    ( A astúcia das mulheres é pior que qualquer ardil )

    Vá lá, agora entende-te com ele...

    ResponderEliminar
  50. E eu, que me tenho estado a divertir enquanto vos leio... não estou a perceber nada deste último comentário do Exmo Sr.Viana ! "soltem-se, saiam do vosso casulo ... " Só por curiosidade, também me toca a mim, esse conselho e o respectivo apoio?????? parece-me que estes homens depois de terem visto a colecção da São Rosas ficaram todos num grande desassossego!!!

    ResponderEliminar
  51. Eu já passei essa fase...sei o que isso é!
    Já conheço a colecção há muito tempo!!!!
    Entrei no sossego!

    ResponderEliminar
  52. Estava eu muito sossegado a pensar que Morfeu já tinha feito o seu doce acolhimento.
    Assim sendo, boa noite, até amanhã. Já vi que não posso dizer nada mais, por hoje.
    A coisa está preta!

    ResponderEliminar
  53. Join text FABULATOR hoc fine perlectis comments ... multos ad "Officina id sapit delicious componit culinaria poneret eroticism conscripta. Aliquip ex sapores texturas olet, scilicet lances "with sauce CONDITUS, providere se tulit cum fabulas historiae genius ... infinita
    Congratulations!

    ResponderEliminar
  54. A malta vê-se grega para entender o vosso latim.
    Fizeram-me lembrar uma vez, na faculdade, um colega meu, Chico Azevedo, que também era um estudioso de latim e nos ia dizendo umas frases, explicando-nas.
    Um dia, estávamos no bar e eu desafiei o Chico, numa roda de colegas:
    - Ó Chico, vê se sabes o que isto quer dizer: Carmus retendictus funicularae est. []não terá sido isto mas foi algo a soar ao mesmo]
    O Chico confessou que desconhecia o significado. E eu lá tive que lhe explicar:
    - Quer dizer que eu não percebo nada de latim!

    ResponderEliminar
  55. A São Rosas, miúda esperta, põe o dedo na ferida.
    A malta vem-se grega...
    Prometo que vou começar a estudar grego. No latim já não me safo.
    Vocês vão ver! A partir de agora é só a gregar...

    ResponderEliminar
  56. سأبدأ الكتابة العربية

    ResponderEliminar
  57. A contribuir para o déficit?!
    A esta hora já as secretas contrataram umas dezenas de tradutores...

    ResponderEliminar
  58. Cuidado com a tua pele! Tás a sugerir que a Sãozita me está a impingir um árabe e não um grego?

    Amanhã vou ter a primeira explicação de Grego.
    Minha querida São Rosas, depois ninguém nos apanha...

    ResponderEliminar
  59. Por ti, sou capaz de tudo. Vê o que já aprendi:

    τὴν ἑλλήνην γλῶτταν μαθήσομαι ἥ ἀμείνων ῥωμαίκης ἐστίν

    ResponderEliminar
  60. لم أتبين أي شيء

    ("não percebi nada", em árabe... do Google Translator... qualquer coisa de aprendizagem?)

    ResponderEliminar
  61. Sãozita,
    Dediquei-me à aprendizagem de Grego e não de Árabe por tua única e exclusiva culpa.
    Já nem quero saber do Latim, por tua culpa!
    Não percebeste nada porque não estás a levar isto tão a sério como eu.
    Assim sendo, tenho que tornar público aquilo que eu pensava poder ficar na nossa intimidade.
    Traduzindo, pois:

    "aprenderei a língua grega que é mais excelente (melhor) do que a latina".

    E ... prontus!

    ResponderEliminar
  62. 我要非常認真地

    ("eu levo isto muito a sério", em chinês tradicional)

    ResponderEliminar
  63. Está visto, a miúda não me leva a sério! Agora quer mandarinar...

    Penso que teremos de resolver a questão em volta de um bom cozido à portuguesa.

    ResponderEliminar
  64. Cagatum poliphinocum!
    Ave Sanctorum!
    (traduzam se conseguirem;isto é latim de Liverpool).
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  65. Porra, já me estava a ver aflito para me aguentar com a Sãozita!
    Agora vem este, criador de osgas, armado em intelectual de Liverpool!
    Rendo-me, entrego-me, façam do meu cadáver o que bem entenderem mas não me massacrem mais!

    ResponderEliminar